NOSSA HISTÓRIA!

NOSSA HISTÓRIA!

 

HISTÓRIA E FORMAÇÃO DA CIDADE DE CAMPO REDONDO - RN

1.Localização e Acesso

 Localização  Guia de Hospedagem

Campo Redondo, município no estado do Rio Grande do Norte (Brasil), está localizado na microrregião da Borborema Potiguar e tem uma área de 213,729 km². A sede do município tem uma altitude média de 471 m e coordenadas 6°14'34,8" de latitude sul e 36°10'58,8" de longitude oeste, distando da capital Natal cerca de 135 km, sendo seu acesso, a partir de Natal, efetuando através de rodovia pavimentada BR-226.

 

2. Aspectos Históricos

 

No ano de 1894, tornou-se pública a existência de uma fazenda de gado por nome Campo Redondo, situada na serra do Doutor, na região do Trairi de propriedade de Francisco José Pacheco. A família Pachêco comprou propriedades aqui e começaram a construção das primeiras casas. A primeira casa foi construída por Joaquim Borges de Oliveira, onde atualmente funciona a Farmácia Tradição Amarante. Portanto, a família Pachêco são os legítimos fundadores de Campo Redondo.

 

Por decisão do proprietário foi construído na fazenda uma capela em homenagem a Nossa Senhora de Lourdes, em 1917, para levar até a povoação a presença religiosa e por gratidão do sucesso obtido na plantação do algodão e o êxito das lavouras. A primeira criança batizada que foi batizada na capela foi Francisco Pachêco Filho.

 

Cinco anos depois, em 1922, Campo Redondo já tinha feira e uma rua única com trinta casas, começando a ganhar evidências de um pequeno povoado.

 

Em 1922, Campo Redondo já tinha uma feira e uma rua com trinta casas o que lhe dava aparência de povoado. A capela foi substituída por uma igreja maior em 1935 e três anos depois Campo Redondo foi elevado à condição de vila, passando a se chamar, oficialmente, Serra do Doutor, no dia 30 de dezembro de 1943. Logo depois voltou ao seu nome original, Campo Redondo. Com o crescimento da população foi construído um cemitério, lá no alto na margem direita da estrada de acesso a cidade de Coronel Ezequiel, antigo Melão, local este onde se encontra o antigo prédio do Banco do Brasil, mansão de Valtércio Anominondas e FM Vales das Serras.

 

Em 26 de março de 1963, pela Lei nº 2.855, desmembrou-se de Santa Cruz e tornou-se município com o nome de Campo Redondo.

 

Campo Redondo está a 135 quilômetros de distância da capital, Natal, e tem uma área de 239 quilômetros quadrados, onde residem 10.266 habitantes.

 

3.Aspectos Geográficos

O município possui um clima do tipo semi-árido com precipitação pluviométrica anual média de 711,2 mm, com período chuvoso de março a maio, e temperatura média anual em torno de 25,6ºC, sendo bem amena no período da noite.

4. População


De acordo com o censo realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no ano 2008, sua população está estimada em 10.793 habitantes, com uma densidade de 42,5 hab./km²

5. Limites Territoriais

 
Limita-se com os municípios de São Tomé e Lajes Pintadas (norte), Currais Novos (oeste), Santa Cruz (leste) e Coronel Ezequiel (sul). Limita-se ainda com a Paraíba (sudoeste).

6.Aspectos Culturais

A padroeira da cidade de Campo Redondo é Nossa Senhora de Lourdes. A festa acontece no mês de novembro, onde temos vários eventos culturais e shows. Outro evento tradicional no município é a festa da Emancipação Política, que acontece no mês de março. 

7.Aspectos Sócioeconômicos

A renda da população se dá através da agricultura, (milho, feijão, maracujá, côco, caju, melancia, jerimum, entre outros). A criação de gado, de ovelhas, cavalos também é de grande importância para os mesmos. 

O comércio - que se realiza aos domingos no centro da cidade - também movimenta trabalhadores de outras cidades como: Santa Cruz, Currais Novos, Lajes Pintada.

A maioria dos jovens se concentram na zona rural, porém a maioria da população urbana é idosa. A cidade possui alguns pontos turísticos, como o Letreiro e a ponte que foi levada na enchente de 1981.

8.Aspectos Fisiográficos

O município possui um clima do tipo semi- árido com precipitação pluviométrica anual média de 711,2mm, período chuvoso de mar ço a maio, temperatura média anual em torno de 25,6ºC e umidaderelativa média anual de 73%. Quanto à forma ção vegetal, o município possui Caatinga Hipoxer ófila –Projeto Cadastro de Fontes de Abastecimento por Água Subterrânea Diagnóstico do Município de Campo Redondo-RN. A vegetação de clima semi- árido, apresenta arbustos e árvores com espinhos e de aspecto menosagressivo do que a caatinga hiperxerófila. Entre outras espécies destacam-se a catingueira, angico, juazeiro, braúna, marmeleiro, mandacaru, umbuzeiro e aroeira e Caatinga Subdesértica do Seridó –vegetação mais seca do Estado, com arbustos e árvores baixas, ralas e de xerofitismo maisacentuado  Os solos predominantes são: Solos Litólicos Eutr óficos. O município possui de 200 a 800 metros de altitude. (Fonte: IDEMA – 1999).

9.Geologia

O Município de Campo Redondo, geologicamente inserido na Província Borborema, está constituído por litótipos do Complexo Santa Cruz, do Grupo Seridó, representado pela Formação Seridó, pelos granitóides da Suíte Itaporanga e por granitóides diversos de quimismoindiscriminado(NP3g3i). Complexo Santa Cruz(PP2gsc) compreende augen-gnaisses graníticos, leuco-ortognaissesquartzo monzoníticos a graníticos. A Formação Seridó (NP3ss) engloba biotita-xistos, clorita-sericita-xistos e metarritmitos.A suíte calcialcalina de médio a alto potássio Itaporanga(NP3g2cm), está constituída porgranitos e granodioritos, associados a dioritos.

 

 10.RECURSOS HÍDRICOS

10.1 - Águas Superficiais

REPORTAGEM SOBRE A ATUAL SITUAÇÃO EM QUE SE ENCONTRA O AÇUDE MÃE D’ÁGUA.
 
O açude Mãe D’água, maior reservatório hídrico de Campo Redondo, alcançou seu nível mais crítico, ou seja, a pouca água que resta, sequer pode ser utilizada para uso humano e nem para animais.
 
Apesar de que o abastecimento do município é feito via Adutora Monsenhor Expedito, o manancial é ainda de grande importância, haja vista que é bastante utilizado para o consumo de animais, uso complementar na plantação de capins, hortas e limpeza em geral.
 
Fato este causado pela grande estiagem que castiga o município já no seu terceiro ano consecutivo, o reservatório encontra-se praticamente seco, contendo menos de 10% da sua capacidade máxima, que, quando reconstruído nos anos de 1981/1982 era de 3 milhões metros cúbicos de água.
 
A pouca água que resta não serve para uso humano, dado a grande quantidade de matéria orgânica em suspensão e um alto grau de salinidade ao ponto de causar micoses e irritação de pele, além de outras infecções, caso seja utilizada naquelas condições, conforme informou o extensionista da Emater Willian, que alertou, também para a necessidade de monitorar-se as condições referente ao cardume restantes no reservatório.
 
COMO VOCÊS PODEM OBSERVAR NAS IMAGENS, O AÇUDE MÃE D’ÁGUA ESTÁ PRATICAMENTE SECO. OS PEIXES JÁ MORRERAM E O QUE SE PODE VER É SÓ LAMA.
 
VAMOS ENTREVISTAR AGORA O SENHOR JOSE DANTAS PARA ELE NOS FALAR UM POUCO SOBRE A CONSTRUÇÃO DO AÇUDE M’ÁGUA DE CAMPO REDONDO.
 
1.QUAL FOI O ANO QUE O AÇUDE MÃE D’ÁGUA FOI CONSTRUÍDO?
 
2. DE QUEM PARTIU A IDEIA DE SE CONSTRUIR O AÇUDE MÃE D’ÁGUA NAQUELE LOCAL?
 
3. POR QUE O AÇUDE DE CAMPO REDONDO TEM ESSE NOME?
 
4. QUAL FOI O PRINCIPAL MOTIVO QUE LEVOU O AÇUDE MÃE AO SEU ARROMBAMENTO?
 
5. O SENHOR LEMBRA QUANDO O AÇUDE MÃE D’ÁGUA FOI RECONTRUÍDO E POR QUEM?
 
MUITO OBRIGADA POR NOS CONCEDER ESTA IMPORTANTE ENTREVISTA SOBRE O NOSSO AÇUDE.

JULIANE AMORIM PARA O INFORMATIVO EEMAS.

 

 

 

 

O município de Campo Redondo possui 98,54% de seu território inserido nos domínios dabacia hidrogr áfica do Rio Trairi e 1,46% nos domínios da bacia hidrogr áfica Piranhas-Açu, sendobanhado pelas sub-bacias dos Rios Trairi, Grossos, Inharé e Campo Redondo. Os principaistributários são: a N, os riachos do Porão, do Jucuri, da Veneza, da Grota e da Timbaúba; a S, o Rio dos Grossos e os riachos do Kuji, do Catolé, da Maravilha, da Baixa da Mesinha ou Cavão e Fechado; a W, os riachos São João, do Maxixe, do Jiquiri e Baldo; na porção central do município, os riachos: da Lagoa, do Salgadinho, M. Antônio, Malhada da Quixaba e Serrote Branco. Os principais açudes são: o de Kugi (252.210m3/público), o Mãe d’Água ou Serra do Doutor (2.222.000m3/público),o Lagoa do Meio (300.000m3/comunitário) e o Timbaúba (100.000m3/comunitário). Todos os cursos d’água no município tem regime intermitente, e o padrão de drenagem é o dendrítico.

 

10.2 - Águas Subterrâneas

Domínios Hidrogeológicos - O município de Campo Redondo totalmente está inserido no Domínio Hidrogeol ógico Fissural. O Domínio Hidrogeol ógico Fissural é composto de rochas do embasamento cristalino que englobam  o sub-domínio rochas metamórficas constituído da Formação Seridó e o sub-domíniorochas ígneas da Suíte calcialcalina Itaporanga, Granitóides e do Complexo Santa Cruz.

 

OUTRAS INFORMAÇÕES E MAPAS  - CLIQUE AQUI!

 

DIVISÃO TERRITORIAL E SUA ORIGEM

O municipio de Campo Redondo está dividido em várias comunidades que são: Cujy, Catolé, Serra Branca, Olho D'água, Malhada Vermelha, Grossos, Umari, Bulandeira, Lagoa do Meio, Serra do Doutor I, II e III, Serra Verde, Maxixe, São João, Mãe D'água, Timbaúba dos Inocêncios, Maravilha, Baldo, Giromão, Baixa dos Brandões, Baixa do Arroz, timbaúba dos Cosmes, Baixa da Mezinha, Malhada Baixa, Livramento do Riromão, Jucury e Ramal. Além das comunidades rurais, Campo Redondo já fundou os conjuntos habitacionais, formados por Conjunto Lauro Maia, Conjunto Margarida Procópio e o mais novinho o Conjunto Campo Belo.

CURIOSISADES SOBRE OS NOMES DAS COMUNIDADES 

Catolé : A origem de seu nome vem de uma planta,ou  seja, de um pé de coco catolé.

Serra Branca: Tem esse nome porque nessa região se encontra bastante lajeados de pedras brancas. Assim, os primeiros habitantes que chegaram a essa comunidade colocaram este nome.

Olho D’água: Seu nome originou-se no século XIX, quando foi localizado por caçadores uma vertente de água natural numa rocha no meio da floresta e próximo a esta vertente um pé de trapiá. Por este motivo esta região localizada na Zona Rural, ficou conhecida por Olho D’água do Trapiá, foi extinto o nome Trapiá, quando foi criado o mapa do município.

Maxixe: Tem esse nome porque nessa região dava muito maxixe nos currais, planta originada da  África trazida para o Brasil na época dos escravos. É uma localidade de terreno árido próprio para a plantação de um fruto com o nome maxixe,daí a origem do nome desta comunidade.

Mãe D’água: Seu nome vem de uma lenda, falam que um homem desta comunidade viu uma espécie de mulher  encantada no purão de um rio e o nome dessa mulher era Mãe D’água.

Maravilha: Esse nome originou-se de uma planta bastante comum naquela região, esta planta tem um nome de maravilha.

Serra dos Brandões: Esse sitio tem esse nome porque lá existem muitas serras e essas terras pertenciam a uma família chamada Brandão. Há também quem diga que sua origem é devido a existência de várias árvores chamadas Brandão.

Baldo: Esse nome foi dado porque lá fizeram um açude nesta região no qual foi era muito pequeno.Nesse caso, o povo dizia: vamos buscar água no baldo.

Giromão: Este sítio tem esse nome porque lá morava um senhor que se chamava de Gerônimo, por causa do nome desse senhor é que o sítio ficou conhecido por Giromão.

Baixa do Arroz: Esse sítio tem esse nome porque lá tinha uma baixa e na época no inverno ficava tudo alagado e os moradores antigos plantavam arroz.

 

DADOS DO CENSO DEMOGRÁFICO 2010

População 2010 10.266
Área da unidade territorial (Km²) 213,724
Densidade demográfica (hab/Km²) 48,03
Código do Município 240210
Gentílico campo-redondense
Histórico Ver histórico deste município
Infográficos Infográficos Cidades@
WebCart Crie cartogramas com o WebCart
Informações Estatísticas
Síntese das Informações
Sinopse do Censo Demográfico 2010  
Censo Agropecuário 2006  
Pesquisa Nacional de Saneamento Básico 2008  
Produto Interno Bruto dos Municípios
Serviços de Saúde
Morbidades Hospitalares
Ensino - matrículas, docentes e rede escolar
Estatísticas do Registro Civil
Representação Política
Pecuária
Lavoura Permanente
Lavoura Temporária
Produção Agrícola Municipal - Cereais, Leguminosas e Oleaginosas 2007  
Extração Vegetal e Silvicultura
Estatísticas do Cadastro Central de Empresas
Instituições Financeiras
Finanças Públicas
Frota
Mapa de Pobreza e Desigualdade - Municípios Brasileiros 2003